BUSCAR en www.olca.cl


- Brasil:

08 de Febrero de 2019

“Mineração mata todos os dias”, ressalta advogado Danilo Chammas


O aumento do número de incidentes relacionadas à atividade de mineração no Brasil nos últimos anos acendeu o sinal de alerta para os membros da sociedade civil e evidenciou o drama de centenas de famílias que residem em regiões próximas a barragens. No entanto, a exploração dos recursos naturais ocasiona danos ‘invisíveis’ durante todo o tempo.

- A observação foi feita pelo advogado Danilo Chammas, membro da Organização não Governamental (ONG) Justiça nos Trilhos, que denuncia violações aos direitos humanos e à natureza provocados pela Vale, como nas tragédias de Mariana e Brumadinho, em Minas Gerais.

“Acho importante a comoção quando situações desse tipo acontecem, mas há uma coisa que às vezes não aparece, não percebemos, é que na verdade a mineração mata todos os dias. Existe um modelo que é aplicado não só no Brasil, mas praticamente em todos os lugares que é muito predatório e irresponsável. Claro que nesse momento há mais repercussão, mas esses problemas acontecem todos os dias e falo porque atuo nisso há alguns anos lidando diariamente com os problemas que a mineração causa”, alertou.

“Espero que mais esse fato trágico faça com que toda sociedade finalmente se atente aos problemas que a mineração provoca, sobretudo por parte daqueles que têm o dever de agir nesses casos e também na prevenção de outros fatos, que realmente cumpram com o seu dever”, continuou o dirigente da ONG.

Dentre os males causados pela atividade mineradora, o advogado destacou a necessidade de remoção de pessoas das suas regiões de origem para a construção das estruturas, as doenças relacionadas à exploração dos metais e a contaminação do ar, a destruição do meio ambiente, culminando com os acidentes que deixaram apenas na barragem do córrego do Feijão, em Brumadinho, 157 mortos e 282 pessoas desaparecidas até aqui.

“Infelizmente há uma aquiescência por parte da maioria da sociedade em relação a esse tipo de operação e isso não pode acontecer. A esperança é de que, principalmente agora, haja uma nova postura que faça com que as pessoas e, sobretudo, os órgãos se imponham em relação aos planos dessas empresas”, disse.

O advogado esteve na cidade mineira nos últimos dias em missão da Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale prestando solidariedade às vítimas e observando os danos provocados pelo rompimento da barragem de rejeitos da mineradora.

Uma das principais queixas dos atingidos pelo desastre é a falta de informações e a dificuldade de acesso à doação financeira que a Vale oferece aos moradores da região que tiveram parentes mortos ou desaparecidos, ou perderam suas casas e capacidade de subsistência.

“Houve uma liminar do Ministério Público que obrigou a empresa a fornecer todo e qualquer tipo de assistência às pessoas, mas isso acaba criando alguns problemas por conta da maneira como está sendo executado. Nós, por exemplo, vimos que todo o atendimento seria controlado pela própria empresa. No caso da comunidade de Córrego do Feijão, ela tomou o espaço da associação de moradores e há uma relação direta do atingido com o agressor, as pessoas precisam buscar a empresa e fazer solicitações. Em alguns casos escutamos que elas não são atendidas”, denunciou Danilo.

Outra preocupação diz respeito ao histórico da Vale neste tipo de evento. Após mais de três anos do colapso da barragem de Fundão, em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, pouco foi feito para reparação da população atingida na maior tragédia ambiental da história.

“Estive lá em novembro de 2018 e uma das medidas seria o chamado reassentamento das pessoas que moravam em Bento Rodrigues, totalmente destruída por esses rejeitos. No momento em que eu passava ali, as obras estavam apenas começando, ainda em fase de terraplanagem, não havia nada construído na área destinada ao reassentamento. Havia críticas sobre a área que foi escolhida, as pessoas nos diziam que é uma área próxima ou onde havia funcionado um lixão, então havia também essa preocupação com contaminação”, lamentou.

Ouça a entrevista de Danilo Chammas na íntegra:

http://www.programafaixalivre.com.br/noticias/mineracao-mata-todos-os-dias-ressalta-advogado-danilo-chammas/

1789

    





Desastre ambiental / Minería a gran escala /

Brasil - Desastre ambiental

El Movimiento de Afectadas por Represas recurrirá el acuerdo sobre Brumadinho entre Vale y el gobierno de Minas Gerais (06/02/2021)

La minera Vale deberá pagar 7.000 millones de dólares por la tragedia que dejó 270 muertos en Brasil (04/02/2021)

"La gente sigue muriendo" después de 2 años, dice afectada por represa en Brumadinho (02/02/2021)

Reanudan las actividades mineras tras 5 años del crimen en Mariana (05/11/2020)

Empresa ligada ao BTG Pactual, que tem Paulo Guedes entre seus fundadores, é a maior desmatadora do Pantanal (20/10/2020)

Empresa minera Vale gestiona dinero de multa pagada por ella misma después de rompimiento de represa (06/10/2020)

El desmantelamiento de los órganos de control y los incendios en las selvas de Brasil (17/09/2020)

Deforestación aumenta riesgo de nuevas enfermedades en la Amazonía (01/05/2020)

El ministro Paulo Guedes afirmó que las imágenes de incendios eran fake news (24/09/2019)

Desastre ambiental

Amazonía en cifras: Recursos naturales, cambio climático y desigualdades. Perú (28/06/2021)

Río Andalién y descontrol territorial: Sequías, inundaciones, incendios y rellenos sanitarios. Chile (06/06/2021)

Desastre socioambiental asociado a fumigación aérea con plaguicidas: Comunidades mapuche recurren de Protección. Chile (05/05/2021)

Los grandes bancos invirtieron más de 3 billones de dólares en combustibles fósiles desde el acuerdo climático de París. Internacional (27/03/2021)

Brigadistas formalizados por incendio en cercanías del Parque Nacional Siete Tazas sí prestaban servicios a Forestal Arauco. Chile (08/03/2021)

Foto desde Estación Espacial Internacional muestra deforestación de la Amazonía peruana por la minería de oro. Perú (12/02/2021)

Centenar de desaparecidos en India tras ruptura de glaciar. India (07/02/2021)

Onemi mantiene alerta roja para la comuna de San José de Maipo por aumento de caudal del río Colorado. Chile (07/02/2021)

Minería a gran escala

Coimas: Fiscalía formalizará por cohecho al diputado Jaime Mulet y dos abogados ligados a la Democracia Cristiana. Chile (18/09/2021)

“Si el salar de Maricunga se seca estamos seguros que nuestra cultura y aguas también”, explica integrante de comunidad Colla. Chile (17/09/2021)

Documental que muestra cómo podría ser destruido el salar de Maricunga por la minería de litio será transmitido este jueves 23 de septiembre. Chile (14/09/2021)

Exposición «El Oro o La Vida. Patrimonio Biocultural y Megaminería: Un Reto Múltiple» en Dolores Hidalgo, Guanajuato. México (13/09/2021)

Jóvenes de Andalgalá exigen ante el Presidente que dejen de violar sus derechos con proyecto minero Alumbrera-Agua Rica (MARA). Argentina (04/09/2021)

Disputa por los fondos del litio: las zonas grises de la millonaria licitación del Instituto de Tecnologías Limpias. Chile (02/09/2021)

Andex Minerals y Proyecto de Exploración Anocarire: Minería en Área Protegida y territorios indígenas. Chile (02/09/2021)

Lucio Cuenca y protección del Salar de Maricunga: “Está difícil por la expansión minera que tenemos actualmente”. Chile (30/08/2021)

Se estrenará documental sobre las amenazas de la explotación de Litio en el Salar de Maricunga de Copiapó. Chile (27/08/2021)

Habitantes de Chincolco denunciaron derrame de material tóxico proveniente de relave minero. Chile (26/08/2021)


Ver más:
Desastre ambiental / Minería a gran escala /