BUSCAR en www.olca.cl


- Brasil:

29 de Marzo de 2022

Suzano rompe contrato com fazenda no Maranhão flagrada com trabalho escravo



Após Repórter Brasil revelar que a empresa arrendava terras onde tentativa de assassinato levou ao resgate de trabalhadores escravizados, empresa decidiu encerrar negócio com proprietário.

- A Suzano, empresa do ramo de papel e celulose, anunciou nesta terça-feira (29) o rompimento do contrato com a fazenda São Sebastião, em Cidelândia, no Maranhão, onde trabalhadores foram flagrados em condições análogas à de escravo em fevereiro deste ano.

Repórter Brasil
Nos barracões os trabalhadores dividiam o espaço com produtos químicos e porcos (Foto: MPT)

A decisão da Suzano foi tomada após denúncia feita, na véspera, pela Repórter Brasil: um dos empregados foi baleado na cabeça ao, segundo ele, cobrar salários devidos. Outro precisou ser removido de ambulância por conta do estado precário de saúde em que se encontrava. Ao todo, quatro trabalhadores foram resgatados de duas propriedades da mesma família, ambas administradas por Samy Wilker Novaes Aguiar.

A Suzano arrendava a maior parte da fazenda São Sebastião (190 dos 210 alqueires da fazenda, cerca de 900 hectares), porém a fiscalização indicou que os funcionários não atuavam na área da papeleira. Como a empresa não foi citada como ré ao lado dos proprietários do imóvel, esse foi o teor da primeira manifestação enviada pela empresa à Repórter Brasil.

Contudo, após a publicação da matéria, a companhia decidiu romper o contrato de arrendamento. Nesta terça, enviou nota à reportagem afirmando que entrou em contato com o proprietário e analisou os autos judiciais. “Apesar dos ocorridos não envolverem a área ou o contrato objeto do arrendamento para a Suzano, a empresa decidiu, diante os fatos apurados, terminar imediatamente a relação contratual com o proprietário”, completou.

Segundo a companhia, as mudas de eucalipto plantada no local ainda são muito jovens, por isso não sabem ainda qual será o destino delas. Eles podem ser removidos ou replantados, mas o que a empresa garante é que “não haverá disponibilização da madeira para o proprietário do imóvel”. “A companhia avalia a melhor alternativa para o caso”, explica a nota. Leia a íntegra neste link.

Em razão do flagrante, Samy Aguiar, seu pai e sua irmã, que também teriam se beneficiado da exploração do trabalho escravo nas fazendas São Sebastião e Bananal, podem responder a processo administrativo e criminal.

Seus nomes também poderão ser incluídos na ‘lista suja’ do trabalho escravo, um cadastro de brasileiros que mantiveram trabalhadores em regime de servidão, que é divulgado semestralmente. Muitas empresas consultam essa listagem e vetam negócios com esses empregadores, o que poderia dificultar os negócios da família. Em entrevista à Repórter Brasil, Aguiar informou que já havia pago parte dos valores devidos aos funcionários, e se isentou de responsabilidade com relação à tentativa de homicídio ocorrida em sua propriedade. Leia a íntegra neste link.

https://reporterbrasil.org.br/2022/03/suzano-rompe-contrato-com-fazenda-no-maranhao-flagrada-com-trabalho-escravo/

207

    





Industria forestal / Derechos humanos / Trabajadores /

Brasil - Industria forestal

Organizaciones rechazan árboles transgénicos de eucalipto (19/08/2022)

Resistencias de las comunidades quilombolas contra la empresa Suzano en el Extremo Sur de Bahía, Brasil (16/06/2022)

Mineros y madereros aprovechan la pandemia de COVID-19 para invadir las tierras de tribus no contactadas (15/05/2020)

Campesinas ocupan empresa Suzano contra la autorización de eucalipto transgénico (05/03/2015)

Inician la esperada operación para salvar a la tribu más amenazada de la Tierra (07/01/2014)

Demandan a presidenta Dilma Rousseff vetar polémico código forestal (25/05/2012)

Rousseff veta parcialmente polémico Código Forestal y descarta amnistía a deforestación (25/05/2012)

En tierras awás hay diez veces más invasores que indígenas (17/05/2012)

Asesinado otro defensor de la Amazonía, el tercero esta semana (27/05/2011)

Industria forestal

Desde 2016 Estado chileno ha gastado más de $1.100 millones en subsidiar seguros para plantaciones de pinos y eucaliptos. Chile (25/11/2022)

Gobierno da continuidad a subsidio para seguro forestal que protege pinos y eucaliptos. Chile (18/10/2022)

Un nuevo informe exhibe el avance de la amenaza global de los árboles genéticamente modificados. Internacional (28/09/2022)

Comaco: Empresa forestal que vendió derechos de aguas para proyecto Central Rucalhue tuvo millonarios negocios con la Armada de Chile. Chile (25/09/2022)

Día Internacional del Lucha contra los Monoculitvos de Árboles 2022. Internacional (21/09/2022)

“12 respuestas a 12 mentiras sobre las plantaciones industriales de árboles”. Internacional (21/09/2022)

Reclamo mbya contra la forestal Arauco en Garuhapé, Misiones. Argentina (12/09/2022)

“Tierras robadas y bosques en extinción en Chile” apunta revelador informe sobre negocio forestal liderado por Forestal Arauco y CMPC. Chile (19/07/2022)

Nuevo trauma ocular: Carabineros desalojó con perdigones la recuperación territorial mapuche Lov Vilo Los Huapes en Arauco. Chile (06/07/2022)

Derechos humanos

La otra cara de la política “Hidrógeno Verde”: Los monocultivos de aerogeneradores y sus estragos en el Biobío. Chile (23/11/2022)

Llamado a firmar Declaración sobre ISDS y el clima. Internacional (27/10/2022)

La discriminación histórica y actual amenaza la supervivencia de los pueblos indígenas. Internacional (25/10/2022)

Buenos ­y malos pasos hacia la COP27 en Egipto. Internacional (24/10/2022)

Una fuerte represión marca el Día de la Resistencia mapuche en Chile. Chile (10/10/2022)

Villa Mascardi: Los organismos de derechos humanos piden una mesa de diálogo. Argentina (06/10/2022)

Amplio repudio a la represión y detención de integrantes de la comunidad mapuche Lafken Winkul Mapu. Argentina (06/10/2022)

El enemigo mapuche que impide saquear el territorio. Argentina (04/10/2022)

Utilità pubblica per chi? Il caso del progetto minerario Vizcachitas, Putaendo. Chile (28/09/2022)

Organizaciones sociales mantienen rechazo a firma del TPP 11. Chile (24/09/2022)


Ver más:
Industria forestal / Derechos humanos / Trabajadores /